sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

MULHER DE VERDADE







Hoje sei que sou mulher de verdade.
Seios fartos.
Cabelos desgrenhados pela noite mal dormida.
Rechonchuda dos filhos que pari.

Hoje sei que sou mulher de verdade.
Que às vezes grito e  - tantas vezes, meu Deus - choro escondido num quarto!
Por vezes minto que são de uma lembrança antiga, um passamento, uma saudade...
é só pra esconder aquela dor da hora que só a gente sabe.

Hoje sei que sou mulher de verdade.
Sem medo de deixar que apareçam meus cabelos grisalhos.
As marcas que afundam minha face.
A balança que aumenta sem piedade.

Hoje sei que sou mulher de verdade.
Quando permaneço de olhar aberto e dentro do peito me rasgo.

Hoje sei que sou mulher de verdade.
Quando sou capaz de olhar e ver que nada deu certo
 e agora o que posso é pisar em cima da tal realidade... que eu nem sei qual que ela é.


Hoje sei que sou mulher de verdade.
E reconheço a maquiagem de menina enrijecendo   pela dor e idade.

Mas hoje, sim, digo bem alto e firme, de cabeça erguida, que sou mulher de verdade,
Quando, apesar de tudo, sigo envelhecendo.


Poema de Della Coelho

IMAGEM:https://i.ytimg.com/vi/gRKcdhdSkFQ/maxresdefault.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário