quinta-feira, 23 de novembro de 2017

FINAL DA JORNADA




Em solidão acostumada,
ainda silente em lágrimas debulhadas,
o ocaso ainda não me esqueceu
e teimo em procurar a estrada do sonho meu.

Esquecida em coração de toda a humanidade,
luto dia a dia a cubrir-me em serenidade.
A jornada segue em terríveis pedras no caminho
e tudo que ainda quero é fazer de teu braço o meu ninho.

Tanto tempo e envelhecida já me encontro,
sinto desfalecer em mim a esperança de um reencontro.
As cicatrizes das quedas traçam o meu olhar,
mas meus lábios jamais se esquecem de teu nome balbuciar.

Grito em desespero no silêncio do peito meu
para que apareça e livre-me deste inferno o meu Romeu!
Sem ti sinto cada partícula minha a murchar
e ressuscitarei somente se me voltares o brilho de teu olhar.

Ajude-me aquele que pode desta infeliz história mudar o fim
fazendo com que milagrosamente o meu único e eterno amor venha até mim.



 Poema de Della Coelho
Imagem: google.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário