terça-feira, 30 de agosto de 2016

A MULHER




Rubra cascata a mirrar dentro do peito
-consumida em fogo-brasa-ingratidão-
traz consigo cristais a gotejar no leito,
estilhaço inflamado em fria podridão.

Adormecida em salgadas ondas feito
anjo que cessa em prantos a diversão
d'um dia em surra, ternura, confeito...
sonhando em laços-foscos d'uma lição.

Luz em fresta provoca o sorrir à criança,
a qual desperta envolvida em carinho,
dissolvendo em estrelas chorosa lembrança.

Já a velha mulher! A sangrar pelo caminho...
Que d'antes era ardor em flor d'esperança!
...cortejo hoje banhado em véu de amargo vinho.

Poema de Della Coelho
Imagem: google.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário