domingo, 23 de março de 2014

SEGREDO


Hesita a face diante de tua Alma soar
sombrios cristais Floridos na ausência enraizada.
Em taça vital, surpresa é ter germinada
em terra fria a luz que à mortalha faz acuar.

Poeta, sois mesmo vós esta rosa a entoar?
Ou acaso sois espelho da voz sonhada
pela insana serva já dilacerada
por... sublime emoção à Razão atordoar?

Se este canto Flor verdade pura expressar,
cala-te, Impostor! Deixa que a escrava do Amor
dias e noites passe a se deleitar

com a imagem cristalizada no esplendor
de esperança até que a branca névoa a esfriar

condense um pálido sorriso na dor.

Poema de Della Coelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário