domingo, 23 de março de 2014

MIGALHAS REPATIDAS

INSPIRAÇÃO (28/12/09)

A pena não ajuda...
A composição trepida...
Cadê a dor que me obriga
a fraudar tão descaradamente

a Arte Pura?



A MULHER

Rubra cascata a mirrar dentro do peito
-consumida em fogo-brasa-ingratidão-
traz consigo cristais a gotejar no leito,
estilhaço inflamado em fria podridão.

Adormecida em salgadas ondas feito
anjo que cessa em prantos a diversão
d'um dia em surra, ternura, confeito...
sonhando em laços-foscos d'uma lição.

Luz em fresta provoca o sorrir à criança,
a qual desperta envolvida em carinho,
dissolvendo em estrelas chorosa lembrança.

Já a velha mulher! A sangrar pelo caminho...
Que d'antes era ardor em flor d'esperança!
...cortejo hoje banhado em véu de amargo vinho.



UTOPIA

A caminho da morte angústia ouvimos
O vazio que invade os sentidos altera
levando-nos a pranto em grande cratera
vulto que empurra enquanto caímos.

A sombra  não sabe o quanto sentimos
na queda sofrida em toda a esfera.
Açoita fiel servo soberba pantera
Fustiga o menino, assim, em trevas partimos.

Compaixão sentida e feliz descobrimos
Co’a presença celeste de um Anjo Imortal
Que essa luz às trevas faz que transgredimos

Da corrente escura à luz espiritual
A névoa rosada onde coexistimos
É a forma esperada  d’um mundo Ideal.



POETA

O vale sombrio em teu olhar congela
angústias profundas de tanta solidão.
Se eu estivesse em meio à neve sentinela,
acarinhada seria a face por minh’mão.

...Tuas Almas Azuis não se voltam para ela!
Segues teu caminho sem qualquer ilusão.
Sentes o sonho passar...sentes que esfarela...
Sentes que estrelas ainda não sentiste não.

Se nos caminhos e estradas que andares,
o sábio  destino  colocar-me em Florim...
Pagarás, sim, para o Luar encontrares

sem saber  como viveu tanto tempo assim.
Resta enfim  saber se quando tu me beijares,
a morte ainda não  tenha se apossado d’ mim.


MINH'ALMA SEM MIM

Luzindo em mim a presença de teu ser,
cercada em escravidão d'Alma Igual sorrindo
em cristal rubro-doce de divina teia,
desnorteia a serena Razão d'alma mortal.

Findo mistério que à escrava faz perecer
certos males chuvosos em sol d' um dia lindo!
Tal sombra que em separado corpo vagueia
serpenteia de incerteza à solidão fatal.

Amor...passeias em desertos a sentir-te
parte da pétala  de meu jardim em Flor.
Senhor...caminho em areias a chorar-te

tristemente a saudade na estrada D'samor.
Dor é saber  que aos teus passos caminhar-te,
enfim, rígida deito ao assolar de morte.



DESPERTAR DE UM SONHO (29/04/09)

Em neblina sombria teus braços a chamam...
à amada acaricias em sono portal.
Mostra-se a presença e as almas proclamam
que acalento encontram entre os rigores do mal!

"Amor de meu ser, a quem tuas vozes reclamam
neste suor das horas?" Sente fluir em sinal
claves de sonoro silêncio que proclamam
enlaces noturnos de um Amor Imortal!

Memoriae face sombreada escurece
com o sol escarlate a pô-la sob os pés.
Mas... se ela entre Luas e Estrelas te procurasse,

ousaria arder a fria esperança que já és.
Em cristais saudosos reclama: "Ah! Se pudesse
eu voltar àqueles minutos que eram Dez!"



 AMOR DE MINH'ALMA (02/05/09)
    
Quando vejo teus olhos turvarem-se em pranto
e a amada face mapear-se em preocupação,
banho-me nesse mar cristalino e canto
em silêncio... o suave acalento da oração!
                                                                
As pontes reforço-as, estradas encho-as de encanto
se aonde vais sabendo fico de antemão.
Rogo à Lua para cobrir-te com seu manto
e à mais alta Estrela  Luzir-te em proteção!

Acaso um dia os Astros deixarem de olhar-te
e a Flecha inimiga for lançada em teu alvor,
não temas! Que antes da haste ferir-te,

meu sangue escorrer-se-á roubando tua Dor.
Eis que nasci somente para encontrar-te
e só resta-me ser teu Anjo fiel sem temor!



SONETO EM RESPOSTA : AMOR IV (21/05/09)

Digo-te agora, Amor...Sim, meus sonhos são teus!
A saudade gelar-me em ventre deveria,
mas só de em ti pensar, assim como os Romeus,
abrasa a mente entregue à doce fantasia.

Minha surpresa e Flor que à tua Dor derreteu
faz-me Fada amada que amortece a agonia!
De meus lábios, a cheirosa brisa sorveu
minh' Alma fiel que à tua face acaricia.

Quando o sol-pôr as Estrelas apresentar;
clamarei, agradecida ao Criador,
que agora em sonhos minh'Alma vai te buscar.

Sempre e sempre... Sim, meus sonhos são teus, meu Amor!
Beija-me às Estrelas!... Eis que ouvi teu cantar!
Louca desnudo-me  a esperar -te em ardor!



MEU AMOR (11/06/09)

Se soubesses a extensão do meu Amor por ti,
bradarias em ver o  Universo anil  em mim!
Outros casais olhariam-te humildemente
desejando um dos dois ser amado assim.

Mas este Amor é somente Teu...PLENAMENTE!
Inútil palavras buscar para em cetim
e Flores cantar um coração tão ardente
pulsando teu nome eterno além do fim.

Sentes agora minh'Alma jorrar em fonte?
Percebes como doeu tua ausência sem fim?
Vês o jardim ao saber-te no horizonte?

Sabes a importância de nasceres assim?
Reconheces meu ser refletido em Ti?...
...só espero que aceites...amado ser por Mim!


MADRUGADA

Através da vidraça,
pela chuva embaçada,
o cheiro do Mar a contemplar

até que teu Amor desfaça
a agonia que a descrença enlaça
pela Esperança que mesmo à Ausência agraça.

Em súplica calada
Pelas ondas embalada
Tua imagem é buscada!

Mesmo Terras e Sóis a separar,
em Cristais de Areia se mesclar...
sob Gotas e Estrelas se entrelaçar...
duas Almas Iguais estão a se encontrar!


ÚNICO! PARA SEMPRE! (14/06/09)

Ausência sofrida,
Lágrima exaurida!

Viagem...
Noite...
Amigos...

odores... sabores... músicas...

Subitamente,
Tez Lembrada, Sonhada, Idolatrada!

Fugir? Sensato!
Agir? Improvável!
Olhar? Fato!

Alma trêmula e fria,
face rubra aquecida,
Surpresa agora refletida!

músicas silenciadas
vozes caladas
Melodia cantada!

Olhos cansados
Perdão aclamado
Amor Imortalizado!



NO DESERTO (20/06/09)

Em deserto um Mar de Desejos
leva-me de encontro
à encosta em Rocha da solidão.

Ao tocar de outra pele... desfaleço.
Fecho os olhos e busco-te... em desespero...
E as gotas de sangue as limpa com seu perdão.

Neste suplício sensual te reconheço
E às águas revoltas devolves a imensidão!

Mesmo meu corpo deserto
sentir-se espinho de ato carnal,
minh'Alma em sonhar-te
orvalha a seiva Rósea de Desejo Imortal !


DÚVIDAS? (21/06/09)

NÃO DUVIDES NUNCA...
de quanto meu Ser é capaz de Te amar!

NÃO DUVIDES NUNCA...
Se sorrio, faço-o para Tua Vida agraciar!

NÃO DUVIDES NUNCA...
Se olho, trago-o refletido em cada mirar!

NÃO DUVIDES NUNCA...
Se ainda respiro, faço-o na Esperança de que ainda irei Te encontrar!

NÃO DUVIDES NUNCA...
Se alguém eu toco, é em Ti que minh'Alma pensará!

NÃO DUVIDES NUNCA...
Se existo, é para saberes que Eternamente amado Teu Ser será!




Nenhum comentário:

Postar um comentário