segunda-feira, 31 de março de 2014

Lágrimas...

Para ti, meu Amor!

Ah, se pudesse eu!
Se pudesse eu .... as montanhas te dar,
carregá-las -ia até onde TU estás!

Se pudesse eu... teus desenganos comprar;
somente para teu desespero tirar, mais rica tornaria!

Se pudesse eu... só de pássaros e melodias falar,
a tua vida em ardores brilhar eu faria!

Se pudesse eu...  todas as horas teu corpo enlaçar,
teu ser mais dois braços frágeis teria!
                                           
Se pudesse eu... os teus lábios beijar,
a brisa fiel de minh’alma  tua  voz  soaria!

Se pudesse eu... espalhar flores até perfumes teu passo alcançar,
teu mais belo sorriso acalentado em Rosas me consolaria.

Se pudesse eu...  todos os teus desejos adivinhar,
antes que sequer pensasses, uma Estrela do Lar em tua Vida coroaria!

Ah! ...Se pudesse eu!
Mas o que posso é ser apenas eu... um EU
que,  para alcançar-te esse esplendor,
por ti... só por ti morreria de Amor!



LEMBRANÇAS (16/07/09-à noite)

De outros olhares já te conhecia
e, naquele baile,
estar em teus braços é tudo o que mais eu queria!
Durante a noite inteira dancei,
embalada por teus laços
à Lua flutuei!

Sem mais conseguirmos distante ficar,
em um só abraço seguimos rumo ao Nosso Lugar.

Tanto Amor eu te dei...
Entre tantos beijos, eu acordei...
Ver-te ao meu lado nesta Vida
é tudo o que mais eu desejaria!

E, hoje, de um Amor tão Grande assim
certo é que não caberia só em Ti ou em Mim.
Esse sentimento
...buscando, então, à Eternidade marcar...
trouxe à morada um Anjo...um menino Anjo
que chegou para santificar nosso Lar.



Flores (20/08/09) no ônibus vindo da garapeira manhã

Te amo mais, e mais, e mais, e mais...
e, assim, dia-a -dia, um instante,
tudo o que faço
é um te buscar constante!
Mesmo em meio à solidão
que se afigura entre tantos,
perco-me feliz
neste imenso Amor pulsante!

Preenche meu ensejo tua face amada
Ornamenta minha saga tuas palavras esperadas
Acaricia minha Alma tua boca sonhada

Fecho os olhos e te sinto...
Abro-os e em minha frente te vejo!
Abraço-me contigo
entregando-te
Corpo, Alma e Desejo!


VERDADEIRA VIDA (21/08/09- manhã meio dormindo, meio deitada em casa)

Em meus braços teus lábios sussurram
o nascimento do Sol escarlate.
Difícil nesse despertar é soltar-te
para que siga a dureza das horas diárias.

Contigo me levas em carinho, versinhos e saudades...com nosso pequeno...
os momentos preenchem-se na Alegria e Ardor de esperar-te.

Mas sei que teus olhos retornam,
sei que amas o Lar que adorno,
e, assim, tristeza e saudade se conformam.

Tua volta o brilho da plenitude nos traz.
Tua voz suave faz-se música embalada de Paz.
Teu beijo é a certeza de que somente
o Amor Verdadeiro a Vida refaz!



Somente por Amor (21/08/09 à tarde umas 17:30 )


Saibas agora, eterno Amor,
estou aqui para esperar-te.
Tua já sou, inteiramente...TUA...
Alma...Coração...CORPO... ARTE
Já voltei
Retornei
Sem olhar para trás
ao abismo,
Feliz eu me joguei!

Mesmo que teu corpo não me ame
somente tua Alma,
não importa,
Te Amo por nós dois em Corpo e Alma!

Um Amor imensurável assim
somente Deus é que o colocaria dentro de mim.

Do começo, do meio e até mais que o fim,
Você esteve e estará sempre dentro de mim.
Nunca pude separar-te
Nunca consegui deixar de vislumbrar-te

E, agora, nesta hora,
sei e quero
viver somente para esperar-te!

Até quando?
Sem dúvida alguma...
ATÉ MAIS QUE A ETERNIDADE!

MAKTUB...estava escrito!



MINHA VIDA (22/08/09 )- manhã na garapeira

Nas manhãs quando acordo, Amor,
sorrio feliz porque sei que cada dia
é um dia a menos sem ti!

Nosso Encontro marcado já está...
é Agora! Já posso ver-te!
Já estás aqui!
Estás aqui...comigo neste versar!

Nos afazeres das horas,
olho teus olhos todo o tempo...
Contigo conto todas as demoras e eventos...
Sempre que posso e permites,
deixo exalar um pouco
deste meu imenso sentimento.

No silêncio das Almas,
só o coração é quem fala,
repete em delírio teu nome,
grita o Desejo
que somente por teus beijos se consome.

O Luar se mostra enfim,
e, sob  Nossas Estrelas,
aconchegada em teu abraço
 é a hora que adormeço.

Em madrugada aquecida,
sons noturnos me despertam,
abraço-me ainda mais contigo,
beijo-te
e novamente ao sono me entrego.

Mesmo adormecido sei que me sentes!
Quanto mais impossível
sei que a Força de Nosso Amor
torna-o ainda mais presente!

E ao abrir os olhos em nova manhã...
Amo-te!
E sorrio novamente!


FIM DE TARDE (23/08/09 à  noite)

Como é bom, Amor,
aguardar tua chegada!
Já ouço teus passos
e sorrindo já sei
que tua imagem querida, à entrada,
eu vislumbrarei!

Acolho em minhas mãos tua face
e sei que cansaço irei
encontrar ao mirar-te.
Faço carinho,
recolho e o aninho
no aconchego de meu colo com beijinhos.

As duras Pedras,
que neste dia difícil recolheste,
transformamo-las, juntos,
uma a uma,
em trampolim para nossos Sonhos e Deveres.

Nesta hora, AGORA,
abraço tua Alma
para as dores desta Vida esquecer-te.

E, então, já bem longe este fim de tarde,
sereno em meus braços descansas...
adormeces...
e eu...
encantada de Amor a contemplar-te...
em Felicidade plena agradeço!



André Rieu (Love Theme From Romeo & Juliet) – (25/08/09)

Voz do Silêncio

Volta pra mim, meu Amor!
Carrega-me em teus braços
mais uma vez por aquela estrada!
Cavalga novamente comigo em lua cheia
até alcançarmos nossa santa morada!
Queria tanto estar naquele lugar!
Nosso Lugar!
Lá onde tão amada fui por ti!
Lá onde nada te afastava de mim!

Carrega-me em teus braços
mais uma vez naqueles verdes campos...
Quero em nossa casa ficar
que é só lá que minh’Alma sempre quis estar,
porque é somente lá que sei que tu é que vais chegar.

Teu corpo ainda de nada sabe,
no entanto tua Alma permite
que no silêncio das palavras
nosso Amor se propague!

Neste silenciar sagrado,
escuto gritar teu coração
e todas as noites me encontro,
sem dúvida nenhuma, com nossa eterna paixão!

Mas o teu corpo! Totalmente cego ele está!
Meu destino nesta vida foi nascer
para sempre sonhar ao teu lado ficar!

O teu corpo vendado?
Em outras moradas, eu já o vi!
Já o tive em meus braços,
mas teus lábios não posso nesta hora beijar!
Já mirei tua face,
mas não a vejo mais a mim se encaminhar teu olhar!

E, neste pôr do sol das horas,
esta canção despertou-me lágrimas de aflição.
Aflição de tanto te amar,
ouvindo e sabendo
que nada sou para ti além de um inspirado cantar!

Mesmo assim,
olhando as Estrelas sou imensamente Feliz!
Feliz simplesmente por Tua presença existir,
que minha Vida...
Minh’Alma...
e até mesmo minhas lágrimas...
sentido só têm
se ouvir meu nome ser
pronunciado por Ti!



ESTRADA ( 7 de setembro- esperando meus filhos desfilarem, sentada na sarjeta embaixo do sol quente)

Mestre de minha Alegria,
tua imagem é a força de meu dia-a-dia.
Ao abrir meus olhos
contemplando a imensidade da solidão,
as grandes dificuldade
que os sonhadores à Vida enfrentarão,
tuas palavras é a Luz
que me faz caminhar
apesar desta extrema exaustão.

Não deixes nunca de cantar,
pois tua voz
é o guia fiel
que me embala
a tantos caminhos cruzar.

Monstros, pedras e areias
é um constante visualizar;
mas que Luas, Lagos e Estrelas
é o que vislumbro como certeza
ao continuar.

No além do sol-pôr , o fim do caminho se faz.
Se não  infinito,
sei que muito longo e mordaz.

Esmoreço
entre areias e tropeços,
renovo a Fé e novamente em Pé...
purificada,
rochas e valas
fazem-se santificadas.

E mostra-se, então,  cristalizada a ilusão
 de que meu final serão teus braços,
que, no aconchego de um singular abraço,
meu destino completa-se afinal.


RETRATO (11/09/09- inspirada num flash que tive dentro do ônibus quando voltava da garapeira)

Amor, quero, nestes simples versos,
contigo dividir o que em meu ser,
inesperadamente
esta tarde, encontrei.
 Encontrei em mim um quadro emoldurado por ti!

E, ali, parada ao contemplá-lo eu fiquei,
sem perceber que Estrelas de Lágrimas eu transpirei.
Lágrimas em sentir a imortalidade
no retrato da verdadeira Felicidade!

O que naquela moldura eu vi?

Amor... eu vi a ti e a mim!
Nós dois, juntinhos, no paraíso de nossa saudade.
Estávamos, à minha frente, nós dois...
rindo alegremente naquelas verdes pastagens.

Eu?
Deitada junto a Ti me encontrava.
E tu?
A ralhar carinhosamente comigo estavas.

Engraçado era que a foto
nada tinha de estática.
Via e ouvia como se fosse,
na verdade, uma janela da casualidade.

Mas foi em teus olhos de céu
que a minha visão fixei.
Se bem que é verdade
que foi especialmente do teu riso
que eu me encantei!

Diante de tanta diversão, por que,
então, derramar-se de emoção?

Vacilei... quando, mesmo ainda inebriada de ti,
olhei para minha imagem e vi...
vi que teu sorriso e teu brilho
se dava, intensamente,
pela Vida que nasceria de mim! 


SINTO MUITO ( 01/10/2009- depois de caminhar na pracinha e ver a lua do fundo do quintal)

À Lua, esta noite, ao contemplar,
senti-me triste, Amor,
por tantas e tantas vezes
tê-lo ofendido neste nosso caminhar.

Resta-me, agora, com uma Flor,
à teu olhar suplicar
PERDÃO por não conseguir
entender todas as horas o teu pensar.

Reflito em mim e sei
que ainda muito mais
eu te magoei.
A calma ainda não me permiti
e preciso, então, noites e dias
clamar muito mais que já consegui.

Perdão, Amor,
perdão por capaz não ser
do Universo inteiro te entregar,
da Paz das Estrelas ver
muito alta para eu apanhar,
do frescor das sombras
incapaz eu nascer
de embrulhá-las p’ra te doar.

Mas o maior clamor
de todos é agora que vou implorar,
peço-te hoje o perdão...
perdão - por amanhã- muito,
muito mais eu te amar.




BEM-VINDO SEJAS, MEU AMOR! – ( 16-10-09 )

Vê, Amor, que abri meus olhos
e eis que quem eu vejo?
Eu vejo a Vós!

Vós que tanto chamei...
Que em tantas noites solitárias clamei...
Vós que por estradas diversas
tanto, tanto procurei!
Cansada já estava
e até me assustava achando
que nunca mais curada fosse minh’Alma.
E eis que bem à minha frente estais!

VOLTASTES, VOLTASTES, enfim, ao vosso Lugar!...
Que em meus braços é onde sempre deveríeis morar!

Amor, enfim, estás aqui!
Agora, nunca mais te preocupes,
Eu mesma cuidarei de ti!
Nem bem sei por onde começar
Tamanha é a FELICIDADE em te reencontrar!

Mas o mundo, se quiseres, conquistarei...
Sabes que minha Vida aos teus pés eu já prostrei,
mas quero ainda mais tesouros te entregar
Para, quem sabe assim,
nunca mais do meu lado se afastar!

AMOR, BEM-VINDO SEJAS AQUI!
E nunca, nunca mais
te escondas de mim!

Quando quiseres pela porta sair...
“Vê, Amor, que fiz um quitute para ti...”

E ainda se depois quiseres ir...
“Amor, não vás ainda, tenho uns versos que senti...”

E se na escuridão tua ida necessária for...
“Amor, não te ausentes muito, por favor!
Eis que da minha Vida és o Sol !
E a Lua sempre serei eu...
Deves, então, supor
Que somente Tua Presença pode a mim a Luz impor.


Branco em Negro (15-01-10) viagem de volta-corrigir com copia)

Metade de mim é canção,
a outra metade é razão.

Metade de mim é solidões,
a outra metade é muitas paixões.

Metade de mim só chora,
a outra metade sempre vai embora.

Metade de mim quer muito abraçar,
a outra metade foge sem cessar.

Metade de mim ama o que faz,
a outra metade o prazer se desfaz.

Metade de mim é multidão,
a outra metade é inquietação.

Metade de mim é boemia,
a outra metade é família.

Metad
Metade de mim é juventude, 
a outra metade é solicitude.

Metade de mim é luta,
a outra metade é labuta.

Metade de mim busca sonhar,
a outra metade quer do sonho acordar.

Metade de mim quer comigo ficar,
a outra metade quer de mim se afastar.

Metade de mim atira-se em si de olhos fechados,
a outra metade segura-se no segredo de versos calados.

Metade de mim ama-te infinitamente até o fim,
a outra metade espera ainda de ti um dia ouvir SIM.

Seja qual for a metade,
uma parte ou a outra parte
sem ti minh`Alma se reparte
pois que eu inteira amo-te para sempre e de verdade!

24-01-10 17: 14  muito triste.

Dunas

Nas tardes cinzas que passo
a  amar-te,
o torpor nublado me abate
e minhas almas mapeadas,
em pensamento ao horizonte,
buscam Estrelas apagadas...

-Que mais posso agora eu desta singela vida exigir
já que o céu em mim pude outra vez sentir?

Mas que a Felicidade sempre se quer mais
quando se ama alguém único que nos satisfaz.

-Que mais posso agora eu desta real vida querer,
 se as palavras que sempre esperei
ouvir em um dizer,
já as li mesmo que não sejam diretamente pronunciadas por ti?

- Que mais posso agora eu desta solitária vida sonhar,
se meu destino se faz  do sonho
que carrego comigo desde aquele maldito primeiro dia
em que pude vislumbrar teu amar?

- Que mais posso agora eu desta triste vida esperar,
se minh`Alma não vê
nem uma réstia de Luz
que possa amenizar meu olhar?

-Que mais posso agora eu desta amarga vida delirar,
se os caminhos que se mostram
trazem neles imensas dunas de areia
que esmorecem qualquer coração que queira
alguma delas enfrentar?

Olhos findos no caminho,
sozinho,
em metade,
melhor soluçar
que a cova me  abrace.


PAIXÃO SOLITÁRIA

Se é afazeres que em transtorno procuras
para as lentas horas diárias  sacralizarem
 dolorosos retratos de males que matem
alegres lembranças  de vida em venturas;

escolheste em palma a melhor das armaduras
pois que, além de robusto corpo formarem,
à alma em torpor pensa livre de a magoarem
imagens espinhadas de fundas agruras.

No entanto, mesmo na  lida de vida escoalha,
quando ao amador se mostra a boca amada,
em sôfrego fervor  esquece-se  a mortalha

e- no trêmulo suar anseio de Flor porada,
cândida-  da azáfama leva-se à fornalha,
ávida em perder-se  na  paixão desejada.


Poemas de Della Coelho



Nenhum comentário:

Postar um comentário