segunda-feira, 31 de março de 2014

AMOR X RAZÃO


Diga, Coração, que estais tão angustiado
a todas as horas tendes a lembrar-me de teu estado?

Mas que queres que eu faça por respeitar-te?
Que culpa tenho eu se nasceste com um grave espinho a enfincar-te?

Já não podes, Coração, ajuda teres a receber
que nem mesmo o mestre das eficácias
poderá essa tua dor arrefecer?

Resta a ti acostumar-te em lágrimas sorrir
pois que ainda não é o momento certo de eu partir.

Coração, entenda... que posso mais eu fazer
se não depende de mim o teu sorriso acontecer?

Basta de atormentar-me! Já cometi loucuras demais,
vê que agora estão lacrados todos os portais!

Crê-me! Nada mais se há de se fazer
se até minh`Alma já ofereci em resgate de teu bem-querer.

Adormece desta tua febre que louco te faz
e deixa-me em Cruzes e Pedras vivendo minhas Flores em paz.

Como?!! Um Amor de Verdade não se desfaz?!!

Mas que se há de sonhar quando teu adorado
prefere o abismo do que estar ao teu lado?

Insano Coração, ouve uma única vez a voz de tua razão
e esquece-te de uma vez por todas
todos aqueles versos brilhantes de intensa Paixão.

Ai! Que não chores mais! Banhas-me em lágrimas
sujando-me em mares de cristalizadas farpas!

 Já te disse que a força de teu ser
de nada mais vale neste mundo de bel-prazer!

Acostuma-te a esconder-te
que terás muito mais chance de não sofrer-te.

A corrida da vida estéril é o que vale afinal,
pois que sentimentos sinceros só mesmo em romances de realidade sem igual!!

 Ouve o que eu digo e acredita -
tuas feridas servem de riso em alma maldita!!!

Não te aguento mais a suplicar
que tu`Alma sinta a Felicidade utópica
de um único ser a te acariciar!!!!

BASTA DE TANTA EMOÇÃO!
MANDO QUE CALA-TE AGORA,
EU SOU A VOZ DE TUA RAZÃO!!!!!


Ei...Psiu...
Coração?!...
Coraçã..ão?
... que estais a me fazer?
...sinto fraca tuas vozes...
Ei...
vejo que estais a desfalecer!


Espera...
... Ai! E esta agora?!...
...encontro-me em total esfera!...
...sinto findar minha era!...


Perdão, Coração!!!
Eis que jamais entendi...
sempre fora a força de teu Amor
que nunca me deixara diluir!


Espera...deve haver um jeito!!!
Retorna a bater em ardor neste peito!!!


Não me deixes esmorecer...
Acredito!!! Acredita...
...um Grande Amor jamais poderá morrer!


Perdão em não te ouvir...
Jamais imaginei que o vazio infinito da Desesperança
fosse a arma mortal que me fizesse
à minha  própria morte sucumbir.

Poema de Della Coelho


Nenhum comentário:

Postar um comentário